Uma a cada 10 mil pessoas possui a doença no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Conheça os principais sintomas da Fibrose Cística.

Também conhecida como mucoviscidose, a fibrose cística é uma doença genética e crônica, além de ser a mais grave e comum da infância. Por isso, o dia 05 de setembro é marcado nacionalmente como o Dia de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística.

Causada por um gene defeituoso que produz muco acima do normal e até 60X mais espesso, levando ao acúmulo de bactérias e germes nas vias respiratórias e no pâncreas. Segundo estatísticas do Ministério da Saúde, a condição atinge uma a cada 10 mil pessoas.

A Clínica Geral da Verte|Saúde, Daniela Mace Altmayer, ressalta que a doença não tem cura, além de ser degenerativa e progressiva, mas, o tratamento é focado na qualidade de vida do paciente: “São necessários antibióticos para tratar as infecções respiratórias, e por vezes, o transplante de pulmão pode ser uma opção, quando o caso é muito avançado. Além disso, uma dieta elaborada por um profissional pode incluir o tratamento de problemas intestinais e nutricionais”.

Segundo Daniela, os sintomas costumam ocorrer nos primeiros anos de vida e o diagnóstico é feito principalmente pelo Teste do Pezinho. Mas, em adultos também é possível realizar o Teste do Suor e o Teste Genético. Quanto mais cedo se descobrir a fibrose cística, melhor a qualidade de vida e mais tempo o paciente viverá.

Conheça os principais sintomas da Fibrose Cística em crianças:

 

  • Infecções respiratórias frequentes;
  • Tosse com secreção;
  • Baixo crescimento e dificuldade para ganhar peso;
  • Desidratação sem motivo aparente;
  • Gordura nas fezes;
  • Obstrução intestinal grave;
  • Icterícia neonatal;
  • Sinusite crônica;
  • Deformidades nos dedos e unhas das mãos;
  • Secreções que atrapalham o funcionamento do intestino.


Sintomas de Fibrose Císticas em pacientes mais velhos:

 

  • Sinusite crônica;
  • Pancreatite;
  • Problemas no fígado;
  • Esterilidade;
  • Doença pulmonar crônica;
  • Diabetes;
  • Atraso na puberdade;
  • Perda de peso;
  • Diarreia crônica;
  • Deformidade nos dedos e unhas;
  • Desnutrição;
  • Formação de pólipos nasais;
  • Cirrose biliar.

 

 

Fonte: Clínica Geral, Daniela Mace Altmayer.

Fonte Externa: Governo do Brasil; Ministério da Saúde.

 

Voltar

TODOS DIREITOS RESERVADOS À VERTE|SAÚDE COPYRIGHT 2019